Thursday, July 02, 2015

Requiescat in Pace - Crônicas da Cidade dos Mortos Cap. 2

A noite em que surpreendemos Pé Redondo, na prática de seus deploráveis hábitos de necrófilo, foi também a última vez que vi Berenice. Desde então, eu vago entre os túmulos a procurar seu vulto, mas em vão. Ultimamente tenho pensado se ela não seria também um dos espectros que, dizem, habitam aquela necrópole. Seja como for, senti-me traído e abandonado quando me veio a impressão de que não voltaria mais a vê-la. Todavia, ela nunca me sai do pensamento, por mais que me esforce para esquecê-la. Às vezes quase encontro o conforto do esquecimento, mas um fragmento de memória, a lembrança do seu olhar melancólico, logo irrompe na escuridão onde tento soterrá-la. Assim, se reinicia o ciclo de pesar que tortura minha alma desde que ela se foi.