Tuesday, April 04, 2017

A Entidade - Parte Quatro.

Saturday, February 25, 2017

O Beijo Que Te Dei



Aquele beijo tinha um sabor diferente, eu sei.
Diferente de tantos outros beijos,
era um beijo hesitante, contido.
Parecia um beijo feito de pensamentos frios,
distantes do coração, mas não era de verdade.
Significava apenas o receio de tudo terminar,
seja por uma palavra (mal)dita,
ou um silêncio constrangedor.
Ainda assim, havia magia, o doce encanto
das almas que se completam e
se encontram na escuridão, a esconder-se
dos olhares distantes e frios.
Bem sei quão estranho sou,
Mas não te negues a mim que eu morro, amor.
Distante de ti, feneço como uma crisálida,
Que fita com olhos mortiços e vazios
O voo da borboleta  

Monday, February 20, 2017

A Entidade - Parte dois.



Ela bem que se esforçou, mas o sono só veio uma hora depois. Ana teria dormido toda a manhã, mas foi acordada por uma carícia insistente nos seios. Ainda sonolenta ela pensou por um momento que estava tendo o mesmo sonho novamente, mas era André com sua ereção matinal, tentando excitá-la. Longe de lograr seu intento, ele apenas conseguiu irritá-la. Ana havia esperado muito daquela noite, mas depois da frustração, não estava disposta a ceder para satisfazer as necessidades fisiológicas e egoístas dele.  
 - Pare com isso! – Quase gritou, enquanto o empurrava. – Quero dormir.
Ele exalou o ar preso em seu pulmão, surpreso por ter sido repelido. Tinha uma vaga noção de que ela deveria estar ansiosa por uma boa trepada. Afinal já fazia algum tempo que não a procurava para isso.
Para continuar lendo: Clique aqui

Sunday, February 12, 2017

A Entidade

Do livro Noites Sombrias

Cuidado com o que você deseja, pois sua vontade pode ser atendida!

Tudo começou naquela noite, ela lembrava bem. Era sábado e a noite de chuva convidava à preguiça, mas Ana queria algo mais. Estava excitada e olhava para André, seu marido, cheia de esperanças. Há muito não tinham qualquer contato íntimo e isso a deixava frustrada e amarga. Então, naquela noite, Ana decidiu que seria diferente. Já havia planejado tudo horas antes.
Ainda na tarde daquele sábado, enquanto André se esfalfava no campo de peladas do clube, ela foi às compras. Escolheu uma lingerie que nunca ousara usar e caprichou nos detalhes para ter uma noite perfeita com o marido. Gastou uma pequena fortuna naquele perfume caro, que levava o nome de uma estilista famosa que admirava. Não esqueceu nem mesmo aquele creminho, para proporcionar ao marido, e a si mesma, uma noite inesquecível.
Mas à noite, André nem mesmo olhou para ela, entretido em ver televisão. Em todas as tentativas que fez para chamar-lhe a atenção, ele a olhou com tamanho desagrado, que ela foi murchando e acabou desistindo de ter sua noite de amor com o marido. Preparou-se para uma noite insone, a sufocar desejos insatisfeito.